segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Hemorragia antes e durante o parto cesáreo

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Wikipedia:P%C3%A1gina_principal

Hemorragia durante ou após o nascimento é potencialmente fatal em lugares sem acesso a um alto nível de cuidado de emergência. Severas perdas de sangue podem causar choque hipovolêmico, isto é, perfusão insuficiente dos órgãos vitais e que pode levar à morte se não for imediatamente tratada por estancamento da hemorragia e transfusão sanguínea.Hipopituitarismo depois de uma choque hipovolémico denomina-se Síndrome de Sheehan.

Prováveis causas de hemorragia durante o parto
Placenta prévia


O embrião geralmente se adere à parte superior da parede uterina, mas às vezes a implantação ocorre em um local mais baixo (placenta prévia). Enquanto a placenta cresce, ela pode cobrir parcial ou completamente a abertura do útero, interferindo, portanto, em um parto normal.






Embora a causa da placenta prévia seja desconhecida, alguns especialistas acreditam que a implantação da placenta não pode ocorrer na mesma parte da parede uterina mais de uma vez. Se uma mulher tiver tido várias gestações, a parte inferior do útero pode ser o único local no qual a a placenta pode ser implantada. Isso explicaria por que a placenta prévia é mais comum em mulheres que tiveram gestações anteriores.



Existem três tipos de placenta prévia: completa, na qual o colo do útero está completamente coberto; parcial, na qual apenas uma parte do colo do útero está coberta, e placenta marginal, na qual a placenta não cobre o colo do útero, mas está próxima o suficiente para interferir potencialmente no parto. Um parto vaginal normal não pode ser feito com qualquer tipo de placenta prévia, porque ocorrerá hemorragia extrema. Por essa razão, os bebês da maioria das mães com placenta prévia nascem através de cesariana.



O maior sintoma da placenta prévia é sangramento vaginal indolor. O sangramento pode começar da vigésima quarta a vigésima sexta semana, embora seja mais comum durante as últimas 4 ou 5 semanas. Enquanto a parte inferior do útero se estica e se dilata durante as últimas semanas de gestação, partes da placenta podem se descolar da parede do útero. Isso leva a sangramento em quantidades variáveis, indo de fraco a abundante.



O sangue geralmente é vermelho vivo, indicando que o sangramento é recente. Não está associado com qualquer lesão prévia, como uma queda. Dor abdominal ou contração geralmente não acompanham o sangramento a menos que a mulher esteja em trabalho de parto.



Como é anormal qualquer sangramento vaginal durante a gravidez, ele deve ser relatado imediatamente ao seu médico. O médico pedirá um ultra-som do abdome para localizar a placenta. Na maioria dos casos de placenta prévia, o ultra-som mostra a placenta cobrindo parte ou toda a abertura do colo do útero.



Uma vez que a placenta prévia foi diagnosticada, o nível de sangramento vaginal geralmente determina o tipo de tratamento (expectante). Se o sangramento vaginal for leve, a conduta expectante geralmente é escolhida, porque permite ao feto amadurecer o suficiente para sobreviver fora do corpo da mãe. A conduta expectante envolve internar a mulher no hospital, mantendo-a deitada e monitorando constantemente qualquer ocorrência de sangramento. Quando for a hora de ter o bebê, será realizada uma cesariana.



Se o sangramento vaginal for forte, ele pode levar à grave perda de sangue da mãe. O sangramento só pára após o bebê ter nascido e a placenta removida. Isso requer intervenção para salvar a vida da mãe e do bebê, mesmo que o bebê seja prematuro. Uma cesariana será realizada imediatamente se o sangramento vaginal da placenta prévia for muito intensa.

Fonte: http://saude.hsw.uol.com.br/placenta-previa.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário